Pessoas comuns conectadas

Para erradicar os problemas da pobreza começando pelo segundo bairro mais pobre do Rio de Janeiro

Defendemos que cada criança, adolescente e jovem merece escolher viver com dignidade

Nossa Visão

Ainda no século XXI ainda existe miséria, escravidão, má distribuição de renda, desigualdade social e de gênero. Ser uma instituição social de referência na inserção social e na erradicação dos problemas da pobreza através de ofertas de orientação e capacitação em educação de qualidade para crianças e adolescente e geração de renda e trabalho para jovens e adultos.

crianças do Recirando raízes pintando

Nossa história

Em 2006 as fundadoras Ilma Rocha e Alba Almeida receberem um pedido de socorro de um jovem da comunidade do Quitanda em Costa Barros, que queria mudar de vida, mas no momento não puderam ajuda-lo e pouco tempo depois veio a noticia de que o jovem foi brutalmente assassinado. Aos prantos e com pesar no coração, somada a violenta realidade do ainda considerado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) como sendo o segundo pior bairro da cidade do Rio de Janeiro, detentor do segundo menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) da cidade, decidiram arregaçar as mangas e trabalhar para o desenvolvimento local. Assim começaram reunindo meninas que viviam abandonadas nas ruas de Costa Barros e trançaram seus cabelos gratuitamente, e enquanto trançavam conversavam com elas sobre a vida, estudos, família, amor. E assim foram apresentando novos atores a vida daquelas meninas, como carinho, atenção e amor, outrora desconhecidos totalmente do dia-a-dia daquelas meninas. E o numero de crianças foram crescendo, e passaram a levar as crianças para sua casa que ainda é na comunidade do Quitanda, para assistirem desenhos e filmes e comer pipoca. Com o passar do tempo os moradores foram se envolvendo e ao serem conclamados pelas duas amigas, Alba e Ilma, reuniram-se para dar mais do que somente amor e carinho, mas oferecer ferramentas que pudessem de fato ajuda a transformar a realidade daquelas crianças. Foi quando em 2014 registraram formalmente a instituição como Projeto Recriando Raizes, ofertando oficinas de Trança, Biscuit, Alfabetização para Adultos, Inglês e Refrigeração. Depois a comunidade fora envolvendo-se mais e mais, e voluntários da própria comunidade passaram a também ajudar na missão, e vieram instrutora de Manicure e Pedicure, Violão, Informática, dentre outros cursos e oficinas, ofertados gratuitamente para as comunidades do entorno (Chapadão, Pedreira, Final Feliz, Favelinha, Lagartixa, Final do Mundo, Quitanda, Tom Jobim I e II) para Empoderamento e emancipação para geração de renda e emprego para a juventude local, dando-lhes assim ferramentas para a superação da vulnerabilidade a longo prazo, e também um caminho na contra mão do trafico de drogas e da violência predominante no contexto social local.

Fundadora do recriando raízes Ilma Rocha

Nossa fundadora

A CEO e fundadora do Recriando Raízes, Ilma Rocha, mais conhecida como Tia Ilma, moradora da comunidade do Quitanda em Costa Barros no Rio de Janeiro há mais de 30 anos, foi abordado em 2006 por um menor de idade usuário de drogas pedindo ajuda para mudar de vida. Na época, Tia Ilma não pode ajuda-lo por estar envolvida em sua vida profissional como cabelereira e Implantista capilar. Mas quando chegou a notícia semanas depois de que aquele adolescente tinha sido brutalmente assassinado, Tia Ilma chamou sua melhor amiga Alba Almeida para juntas fazerem a diferença em Costa Barros criando a ONG Recriando Raízes.

Nossa história completa(PDF)

Nosso contexto

Costa Barros, é um bairro da cidade do Rio de Janeiro que segundo o IBGE (2010) é um segundo pior lugar para uma pessoa viver no Rio (segundo menor IDH da cidade) A Prefeitura do município do Rio define Costa Barros como o menor IDS (Índice de Desenvolvimento Social). SSP-RJ define como um dos bairros mais perigosos do Estado do Rio de Janeiro. 41 mil habitantes, onde mais de 70% da população é negra e parda, corroborando com a estatística do estudo feito pela Anisitia Internacional onde número de jovens negros mortos no Brasil é como se um Boeing cheio caísse a cada 2 dias.

Localização

Rua Cândido Macedo Júnior, 13 - Costa Barros Rio de Janeiro - RJ